Como ser um catalisador da transformação digital na empresa

Npo Sistemas
TI Profissional

Entre as principais consultorias mundiais, existe um consenso: SaaS (principalmente em plataformas abertas e preferencialmente gratuitas), Data Analytics, IoT, Blockchain, IA, Realidade Aumentada e Automação Robótica serão o pilar da transformação digital para os próximos anos.

E o CIO terá de dominar todas estas tecnologias, como agente de transformação digital na empresa. Nas próximas linhas apresentaremos qual a melhor abordagem do PMO (Project Management Office) para os projetos, passando pelas ferramentas e modelo de gestão que facilitarão a transformação digital.

Mostraremos ainda gráfica e textualmente a abordagem técnica, e os desafios apontados pelas maiores consultorias que tem trabalhado em empresas no mundo todo, e quais as tendências estão surgindo.

O fator humano é o mais frágil no processo, e esse artigo apresenta algumas ideias de como tornar seu time mais colaborativo e o ambiente de TI mais propício à inovação. O case Alibaba mostrará como foi esta transformação na China, país que mais cresce no mundo.

Continue a leitura para compreender melhor.

Qual a melhor abordagem para os projetos?

As empresas não precisarão de generalistas, muito menos de especialistas, mas de multi especialistas.

Do ponto de vista do negócio, o Design Thinking e metodologias ágeis de projetos colaborarão para o crescimento e evolução da empresa.

Alexey Boás, Martha Gabriel, Luis Lobão, André Bello, especialistas em RH da HSM; acreditam que a união entre Design Thinking e metodologias ágeis como o SCRUM, farão a conexão entre a experiência do usuário e a tecnologia necessária para essa transformação.

experiencia do usuario e tecnologia como catalisador da transformacao digital

O design por processos, através de pessoas é o conector entre tecnologia e negócios, sendo esta interação fundamental para conseguir um ambiente colaborativo e propício à inovação.

Com a influência do CIO como catalisador da transformação digital na empresa, a premissa está sempre no processo em si, e não exatamente no resultado, pois o processo define o resultado.

É justamente o CIO quem deve ter o tato para lidar de maneira menos “robótica” e mais humanamente colaborativa nessa jornada.

E as ferramentas e metodologias de gestão?

O CIO como agente da transformação digital na empresa precisará gerir um programa, sendo assim necessários vários projetos para que a transformação digital aconteça dentro da empresa.

Além de uma análise criteriosa para com os parceiros nessa jornada, é importante que se defina uma matriz e suas responsabilidades.

Outra dica é que a EAP (Estrutura Analítica do Projeto tradução, também conhecida como WBS – Work Breakdown Structure) seja elaborada conjuntamente com os profissionais dos setores.

Cada especialista terá sua participação e cada qual seu papel. Se ainda existirem dúvidas sobre os processos e a integração entre eles, um modelo CANVAS poderá mapear o negócio e exemplificar facilmente cada processo e etapa.

Esta aliás é aquela maneira encontrada pelo pessoal defensor do Design Thinking e Scrum que falamos antes neste artigo.

Abordagem técnica e os desafios

Esta imagem da KPMG ilustra bem as seis dimensões-chave da transformação digital da Indústria 4.0 que toda empresa deve considerar. Durante a pesquisa, a KPMG constatou que:

Princípios do COBIT 5

E exatamente esta 4ª revolução industrial, a indústria 4.0 que será o pilar de uma série de mudanças nos produtos que consumimos, e em como consumimos. Mesmo assim, uma pesquisa da FIESP aponta que 32% das empresas não ouviram falar do tema.

Benefícios como: mais segurança para fábricas e seus operários nas linhas de produção, menos estresse mental e físico por conta das automações e o uso da IoT; são percepções claras para os colaboradores e principais gestores.

Esta transformação toda fará com que os processos se tornem substancialmente mais rápidos, sendo possível monitorar cada ponto deles e controlando os resultados. Mas há também inúmeros desafios.

A pesquisa aponta também que:

“Recursos (relação custo benefício; investimento necessário) e Estratégia (ser empresa pequena e não saber como se adaptará à Indústria 4.0; espera pela movimentação do mercado) foram apontados como principais desafios. Outros desafios também foram apresentados, como Gestão, Tecnologia e Mão de Obra.”

O que apontam as tendências das principais consultorias hoje

Punit Renjen, diretor executivo global da Deloitte afirmou no Relatório de Impacto Global de 2018 que: “Estamos enfrentando um desafio global crítico – um abismo crescente entre um mundo tecnologicamente avançado e milhões de pessoas despreparadas para participar dele.” O relatório destaca ainda que:

A força de trabalho do futuro precisa navegar por essa revolução e as empresas têm a oportunidade de liderar todos os setores da sociedade por meio dela.

Em outro artigo, a presidente da SAP Brasil, Cristina Palmaka, afirma que apenas os negócios que se transformam digitalmente sobreviverão à economia do futuro.

De maneira simplificada, ela afirma que a basicamente a IoT através das conexões entre os inúmeros objetos físicos e dispositivos eletrônicos e análise de dados irão moldar o futuro.

Os “wearables”, dispositivos eletrônicos vestíveis constantemente ligados à internet e conectados entre si, incluindo os dispositivos da empresa, serão os maiores desafios de segurança que o CIO enfrentará.

wearables dispositivos eletronicos ligados a internet

A escolha dos parceiros certos é algo quase tão vital quanto o próprio negócio. A Oracle por exemplo, disponibilizou uma série de recursos em nuvem paro IoT, como o Digital Twin, que permite que os usuários remotos monitorem a integridade dos ativos e evitem falhas antes que eles ocorram.

Toda esta tecnologia, já pode ser suportada no Brasil. Por falar em parceiro de nuvem, qual parceiro e tecnologia devemos usar?

O IaaS é um modelo em que um provedor terceirizado vai hospedar e manter o NOC ou o DC, de maneira escalável.

Os principais players do mercado são a Amazon Web Service (AWS), Microsoft Azure e Google Cloud Platform.

Segundo estudos do Gartner, é um mercado dominado pela AWS com 51,8% de participação em 2017, e com uma margem confortável para a segunda colocada Microsoft.

Outro estudo, no entanto; do Synergy Research Group apontam a AWS com 40% de market share, seguida pela Microsoft com 17%, Google com 8% e Alibaba em 5%.

O veredicto é que em termos muito amplos, a AWS oferece a mais funcionalidades e maturidade.  As empresas que apostam hoje na AWS têm um apelo forte: sua infraestrutura colossal e expansionista garante economias de escala.

Para empresas, no entanto, que já tem em seu kernel um apelo forte nas linguagens de programação Microsoft, o Azure em termos de tecnologia e habilidades de desenvolvimento seria uma aposta mais adequada.

Como lidar com o recurso humano durante a transformação digital

Atualmente segundo a Deloitte, 56% das empresas tem de alguma forma repensado o modelo de RH e seus processos.

De maneira que a tecnologia esteja cada vez mais presente e seja um diferencial na hora de contratar e reter talentos.

Esta mesma pesquisa aponta que 81% das empresas brasileiras desejam o RH Digital, já outra pesquisa mostra que 38% das empresas tem dificuldade em contratar e reter talentos.

RH Digital nas Empresas Brasileiras

O RH das empresas hoje é extremamente demandado e eventualmente tendo de fazer milhares de análises curriculares com dezenas de filtros.

Um trabalho cansativo, repetitivo estressante e sujeito a muitas falhas. Mais uma vez, a figura do CIO como catalisador da transformação digital, passa pelo RH, com uma tendência chamada People Analytics, que defende o uso dos dados de maneira massiva, permeando cada uma das decisões e planejamento estratégico.

Da admissão, passando pelo treinamento, promoção e até demissão de um colaborador. Softwares fazem toda esta análise, entregando aos gestores de RH os resultados em forma de métricas e gráficos, auxiliando-os a tomar a melhor decisão.

A solução adotada no case Alibaba

O Alibaba mira a Inteligência Artificial, este ano, durante uma palestra na CES Asia, Miffy Chen executiva da divisão de IA da Alibaba deixou claro que a empresa não pretende ficar atrás em um universo doméstico cada vez mais conectado.

Para se ter uma ideia, a Tmall Genie foi lançada em julho do ano passado e, quase um ano depois, conta com mais de 2 milhões de unidades vendidas.

Aliás, desde 2017 a divisão Tmall da Alibaba abriu seu primeiro depósito inteligente na 2017 no distrito de Huiyang, na China, com um exército de veículos guiados automatizados (AGVs) compactos, porém fortes, para movimentar mercadorias e preparar pedidos.

Transformação Digital no Alibaba Veículos Automatizados Guiados

No depósito com quase 3 mil metros quadrados da Alibaba, por causa desta mudança de tecnologia, com o uso dos robôs, em vez de um funcionário da embalagem andar uma média de 27,924 km em volta do armazém diariamente – o que era o caso antes dos robôs – agora é apenas 2,563 km.

Alibaba afirma que a eficiência geral do armazém triplicou graças aos AGVs.  O case exposto, nos mostra como o bom uso do IoT, da IA, e da abordagem humanista de processos melhora (no caso triplicou) a eficiência da empresa.

A escolha dos parceiros certos, a implementação por etapas (vários projetos) até alcançar o resultado esperado foi feita de maneira natural.

É exatamente isto que se espera do CIO como agente da transformação digital na empresa. Abordagens técnicas, cirúrgicas com a escolha certa dos parceiros e tecnologias, humanidade para envolver e melhorar a vida dos colaboradores na empresa e naturalidade, para que tudo aconteça de maneira orgânica e consistente.

Vamos tornar a sua empresa mais produtiva? Converse com um de nossos especialistas, entre em contato conosco.

Deixe seu comentário

Nosso Blog

  • Inovação

    Tecnologia blockchain: a próxima grande revolução

    31 de outubro de 2019

    Apesar do blockchain estar se popularizando, muitas pessoas ainda não sabem o que ele é e como funciona, nem sequer imaginam o quanto essa tecnologia está próxima do dia a dia dos empreendedores. Muito ligado aos Bitcoins, o blockchain é uma tecnologia que busca a descentralização das informações com o objetivo de aumentar a segurança […]

  • Inovação

    Principais fatores que prejudicam o alinhamento dos negócios com a TI

    24 de outubro de 2019

    Promover o alinhamento dos negócios com a TI é ponto vital para ter sucesso no empreendimento e enfrentar o mercado competitivo. Isso porque a tecnologia tornou-se muito mais do que uma ferramenta operacional, como era vista antigamente. Assim, hoje, por meio dela, é possível reduzir custos operacionais, aumentar a produtividade e melhorar seus lucros. Então, por […]