O que é SDN e como será sua presença na TI

Npo Sistemas
TI Profissional

SDN é uma sigla em inglês para Software Defined Network que, traduzido, significa Rede Definida por Software. Assim, essa tecnologia modifica completamente o gerenciamento dos hardwares da área de TI.

A princípio, vale lembrar que as mudanças que ocorrem na área da Tecnologia da Informação são muito rápidas e surpreendem, até mesmo os profissionais da área. As facilidades oferecidas por novos modelos e arquiteturas são comemoradas por aqueles que estão envolvidos diretamente nos processos.

Assim, esse novo conceito afeta positivamente a forma de gerenciar as redes de computadores, todo o hardware e infraestrutura de TI. O que, por sua vez, acaba resultando em grandes mudanças na gestão da Tecnologia da Informação nas organizações.

O conceito começou a ser desenhado em 2005 por Martin Casado, um estudante de PhD da Universidade de Stanford nos Estados Unidos, que desejava comandar o plano de controle de uma rede através de um único software. Muito se fez a partir dessa data e, hoje, a solução se tornou uma realidade mundial. 

Não sabia o estudante, na época, que criava uma realidade para o futuro que traria benefícios para a área de TI e para o sucesso dos negócios de muitas empresas. 

Assim, se você gostou do assunto, nesse post vamos apresentar o que é SDN e como será sua presença na área da Tecnologia da Informação, continue lendo e confira!

 

O que é SDN?

SDN é uma ferramenta desenvolvida para arquiteturas de redes, que tem por objetivo fornecer maior controle e personalização em suas estruturas. A partir de um único comando, é possível definir processos em toda a rede através de um software. 

Isso significa padronização, organização e controle sobre todos os periféricos de rede e sua estrutura. 

Logo, para compreendermos melhor essa definição, vale a pena entender o modelo tradicional de redes e compará-lo ao proposto pelo SDN:

 

Modelo tradicional

O gestor de redes do modelo tradicional precisa intervir de forma individualizada em cada um dos equipamentos, quando alguma mudança de configuração envolvendo toda a arquitetura precisa ser realizada.

Portanto, se o parque de equipamentos da empresa possuir 5 switches e alterações tiverem que ser feitas na configuração da rede, o profissional terá que realizar por 5 vezes o mesmo trabalho.

No entanto, vale lembrar que não são só os switches que precisam de ajustes. Portanto, nada pode ser esquecido, sob pena de interrupções na produção.

 

Modelo SDN

O modelo SDN permite que o gestor, a partir de uma única configuração, possa modificar todos os equipamentos de redes com apenas uma intervenção.

Utilizando o exemplo acima, o profissional define a nova configuração via software e atualiza os 5 switches de uma só vez.

Logo, essa realidade modifica completamente a gestão de TI e redes de uma organização, evitando erros e esquecimentos que são tão comuns no modelo tradicional.

 

A abrangência do SDN na área de TI

A abrangência desse modelo de rede na área de TI possibilita  as seguintes tarefas e benefícios:

  • padronização dos métodos;
  • provisionamento de recursos;
  • definição de perfil de usuário;
  • interoperabilidade entre aplicações e switches de comutação;
  • interoperabilidade entre equipamentos de fabricantes distintos.

Esse novo modelo possibilita ainda que, a partir do cadastramento de uma pessoa que está passeando em um shopping, por exemplo, ela receba informações e interação da rede de forma automática através do seu smartphone e do sistema do empreendimento.

Conforme essa mesma pessoa se movimenta no shopping, o sistema consegue apresentar novidades daquele espaço. E, dessa forma, auxilia e apresenta detalhes das lojas e serviços oferecidos.

Dessa maneira, a rede sabe onde a pessoa está e passa a monitorar suas preferências, oferecendo e o reconhecendo a cada vez que recebe sua visita naquele ambiente. É, portanto, uma grande aliada de estratégias segmentadas de marketing.

 

Hardware como commodities

Com o modelo SDN e sua padronização, que já está ocorrendo entre os fabricantes de hardware, o mundo estará ainda mais ligado em função das facilidades operacionais existentes nas mais diversas redes. 

O hardware tende a se tornar um commodity, isso porque é inquestionável o avanço das aplicações em nuvem e das progressões conquistadas pela Tecnologia da Informação.

Ele ainda possibilitará a integração e comunicação entre redes, garantindo a segurança das informações e permitindo a interação com cada usuário do sistema. Ou seja, com cada pessoa cadastrada em algum aplicativo disponível.

Portanto, o futuro aponta para que o hardware utilizado em qualquer ambiente ou espaço seja indiferente para os sistemas. O que, logo, proporcionará a comoditização e massificação dos equipamentos.

Outro ponto importante e que tem se mostrado uma tendência é a virtualização das redes. E, ademais, onde essas se dividem, formando diversas camadas que atuam de forma distinta no sistema. Com o SDN, essa possibilidade se amplia, e é possível tornar transparentes as redes físicas e lógicas.

Diante disso, a carga de servidores e roteadores diminui, otimizando a performance e melhorando a latência dos grandes provedores.

 

A internet das coisas e as redes

Um aspecto interessante e que precisa ser pensado imediatamente pelas empresas é a velocidade com que soluções de IoT estão se desenvolvendo.

A internet das coisas, como é conhecida, vem ganhando espaço e, em breve, milhões ou bilhões de equipamentos estarão conectados via redes aos sistemas e aplicativos de todo tipo.

A IoT vem se popularizando dia a dia, e muitas mudanças ainda ocorrerão na sociedade com a utilização de objetos que se comunicam e colaboram com seus usuários através da internet.

Novamente, a solução SDN se apresenta como a ferramenta adequada para suportar a avalanche de dados e informações que utilizarão as redes como caminhos de comunicação.

 

O mercado de olho no futuro

Os grandes provedores de nuvem, como o Google e a Amazon, utilizam o SDN há algum tempo. O que, dessa forma, vem sendo seguido por outras empresas que desenvolvem soluções privadas, públicas e híbridas de forma eficiente. 

Sua utilização na construção de nuvens proporciona aos seus usuários algumas vantagens, como:

As novas tendências com a utilização do SDN já são reais e ficarão ainda mais evidentes, na medida em que as soluções estiverem avançando para um novo modelo de redes.

Assim, essa tecnologia está influenciando a tomada de decisão com relação ao futuro da TI e da informação nas empresas, o que irá provocar mudanças na gestão empresarial.

Se você gostou de conhecer o SDN e quer saber mais sobre tecnologia de nuvem, leia nosso post que apresenta o case de sucesso do Grupo Sada: jornada Cloud AWS.

Deixe seu comentário

Nosso Blog

  • Inovação

    Soluções em cloud: a chave para a transformação digital

    20 de fevereiro de 2020

    Agregar todos os serviços e tecnologias oferecidas pelo mercado é uma tarefa praticamente impossível de ser realizada. Dessa maneira, as soluções em cloud são a chave para a transformação digital. Além disso, o número de especialistas e profissionais internos necessários para atender os mais diversos setores da tecnologia em uma empresa tornam a operação inviável […]

  • Gestão Financeira de TI

    As 5 falhas mais comuns na equipe de TI

    17 de fevereiro de 2020

    Muito se fala a respeito da automação dos processos e da transformação digital, e como elas modificam completamente os resultados e a gestão das empresas. Uma equipe comprometida é essencial nesse contexto. No entanto, existem algumas falhas na equipe de TI que podem ser evitadas a partir de simples cuidados e ações que minimizam problemas […]